Viajando de carro pela NZ com crianças

esse post não foi patrocinado, infelizmente (ou felizmente, dependendo do ponto de vista)

A gente viajou por 4 meses pela NZ no nosso carro. Nesse post, vou falar um pouco sobre o melhor carro de família e sobre como foi viajar de carro por tanto tempo com crianças.

the views of nz

A Mel fez esse penduricalho quando tinha 5 anos e a gente continuou usando até agora, que ela está prestes a completar 13 anos. A gente olhava pra ele e se sentia em casa.

Nossos 4 meses de viagem foram ótimos, preciso começar com isso. Encontramos lugares incríveis, nos conectamos mais como família, aprendemos muitas coisas novas, tivemos experiências maravilhosas e muito mais. Mas não foi só amor, risadas e lugares incríveis. Também precisamos de muita paciência, conversas, limites, planejamento e improvisação. Você pode ver nossas dicas para viajar de carro e nosso video sobre as estradas da Ilha Sul da NZ (todas de dentro do nosso ex-carro).

Boa parte disso foi dentro do nosso ex-carro, um Kia Carnival.

Ele era grande o suficiente pra acomodar nós 6 + nossas coisas confortavelmente, deixar um espacinho entre as crianças (como cabem 8 pessoas, a gente tinha 2 assentos entre uma criança e outra livre). Foi o nosso porto seguro durante a viagem: o lugar aonde todas as coisas eram nossas, os cheiros eram nossos, aonde a gente podia deixar as coisas sem medo de perder. Mas também foi o lugar aonde passamos infinitas horas improdutivas, em que não podíamos trabalhar, estudar, brincar, ou mesmo nos mexer livremente, o que geralmente significava muitas discussões, falta de paciência e empatia, pescoços doloridos, fome e, claro, tédio.

road trip

Saindo de Dunedin, na semana mais chuvosa que a gente teve

Em viagens curtas, algumas brincadeiras funcionavam, mas em viagem longas (mais de 3 horas), nada funcionava. A gente não conseguia ficar na mesma brincadeira por muito tempo nem ficar mudando de jogo toda hora porque a gente ficava, mesmo, muito cansado.

O carro veio com várias entradas USB, o que poderia ser uma fonte inesgotável de alegria se eles pudessem jogar joguinhos o tempo todo, mas a Melissa passava mal quando ficava olhando pra tela em veículos, os meninos entravam em transe e não ouviam mais nada do que acontecia em volta e a Coral sempre precisava de ajuda (e ninguém podia ajudar) ou queria ver Netflix (difícil sem internet estável), então a gente teve que limitar o uso de eletrônicos no carro. O bom é que nenhum telefone ficou sem bateria e a gente podia ouvir nossas músicas no iPod. O ruim do rádio do carro era que a gente não conseguia trocar a música pelo iPod e o carro não deixava a gente escolher a música rapidamente, a gente tinha que descer (ou subir) de música em música em uma lista enorme de músicas.

Queen Charlotte Drive, NZ

Amo essa foto tirada pela Tathi Jinno

Com a ajuda desse carro, a gente conseguiu descobrir o que é necessário e o que não é devagar, no nosso tempo. Como ele tem espaço de sobra, a gente começou a viagem carregando as mochilas, o porta malas lotados e 2 malas grandes em cima do carro. Aos poucos, a gente foi deixando as coisas pelo caminho, conforme a gente sentia segurança para fazê-lo. No final da viagem, a gente estava com as mochilas e uma caixa pequena com condimentos e os produtos de higiene. Certamente, deixar as coisas conforme a gente sentia que podia foi muito melhor do que ter que jogar coisas fora porque não cabiam no carro, mesmo que a gente quisesse levar.

Uma coisa maravilhosa nesse carro foram os porta-copos em 6 dos 8 assentos. Todo mundo conseguia deixar as garrafas de água aonde alcançavam durante as viagens e aonde era fácil de ver e alcançar quando a gente estava esvaziando o carro. Não ter que ficar passando a garrafa de água a cada 5 minutos foi essencial para manter minha sanidade por mais tempo.

Como era um carro novo, a gente não esperava que fosse dar problemas, e realmente não tivemos nenhum. O Angelo disse que foi o carro mais confortável e estável que ele já dirigiu. Todos nós (menos a Coral) podíamos mudar de assento facilmente e até os adultos podiam ir nos assentos do fundão do carro confortavelmente. Isso foi muito útil quando a Coral estava tendo momentos ruins. Também é um carro muito seguro, uma qualidade importante.

driving nz

Dirigir pela NZ significava quase sempre isso: praia, céu incrível e a família por perto

Se tem uma coisa que eu gostaria de poder levar comigo, seria o carro. Mesmo sendo grande demais para eu me sentir segura dirigindo, eu amava. Amava o aquecedor de banco, as portas automáticas, a ignição sem chave, o espaço, os pequenos detalhes (como o espelho que nos deixava ver todos os assentos do carro), a comodidade e o serviço Kia da NZ. A gente realmente sente falta dele.

Qual o carro favorito da sua família? Conta pra gente nos comentários!

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta