Um ano de viagens: dicas para viajar com crianças

Pin it!

Eu achava que viajar com crianças era muito trabalhoso, pouca diversão, e muito dinheiro. A mesma coisa que eu pensava do homeschool (ou educação em casa). Eu estava certa: é MUITO caro. Mas também estava errada: não dá muito trabalho e é MUITO divertido! Pode confiar, a gente tem viajado direto há mais de 1 ano! Nesse post, vou dar algumas dicas para se viajar com crianças!

Como é

É um pouco mais difícil, sim. Adultos e adolescentes conseguem se comportar mesmo estando cansados, com fome, ansiosos. Crianças pequenas, no entanto, não têm como lidar com isso silenciosamente. A gente tenta, em primeiro lugar, evitar situações estressantes, como viajar de madrugada ou muito cedo, tenta alimentá-los antes, etc. Se não tem como evitar o estresse, a gente tenta encontrar uma solução, mesmo que momentânea.
A gente carrega coisas que não carregaria se não tivesse crianças, como brinquedos. E precisamos lidar com as necessidades de todos da família.

MAS, deixa eu contar, é INCRÍVEL!

As crianças nos surpreendem e nos encantam todos os dias. Eles injetam vida em momentos sem graça. Eles aprendem nos momentos mais estranhos.
E quando eles todos estão dormindo, faz tudo valer a pena!
Além do que, eles são muito mais fofos que a gente nas fotos.

Então, as dicas prometidas

Vá com calma

Essa é a dica mais importante. Crianças se cansam mais que adultos, e eles provavelmente não vão ficar super felizes de ver coisas novas que não são do interesse deles.
Então, vá devagar.
Passeie por 2 dias, mas deixe um dia de descanso – seja na praia, na piscina, um dia de filmes em casa, ou deixe que leiam, conversem com os amigos ou joguem Minecraft o dia todo. Deixe que descansem a mente e o corpo.
Também não tente colocar muita coisa em cada saída. Dê tempo pra eles explorarem. Seja paciente. Eles estão aprendendo em todos os momentos, mesmo quando estão espantando pombas.
Você não vai conseguir ver o país todo (ou a região, ou a cidade) na sua viagem, mas ainda assim, vai valer mais a pena se eles estiverem descansados felizes e interessados.

santiago chile san cristobal

As crianças brincando no Cerro San Cristóbal, em Santiago, Chile.

Confie neles

Eu não quero dizer que você deve deixar que eles vão passear sozinhos, principalmente se forem pequenos, mas dá pra confiar neles se eles dizem que estão cansados, ou querem ficar vendo/fazendo só uma coisa, ou não querem.
Se eles querem ficar olhando a mesma coisa no mesmo museu por horas, deixe. Tente ver o que eles estão vendo, tente entender porque aquilo é tão fascinante. Se eles não conseguirem ver o museu todo, tudo bem. Eles aprenderam muito com aquele único item, e é o suficiente. Se eles dizem que estão cansados e querem ficar em casa, negocie! Talvez dê pra dar algumas horas pra que eles descansem antes de sair, ou talvez dê pra voltar mais cedo e ver um filme. Se eles forem grandes o suficiente, talvez até dê pra deixá-los sozinhos por algumas horas.

Deixe que sejam responsáveis pelas próprias coisas

Confie neles de novo e deixe que escolham o que querem levar e como querem fazer as malas. Dê uma ajudada se eles precisarem ou nunca tiverem feito, mas deixe que eles se virem. Diga pra onde vocês vão, por quando tempo vão ficar. Diga o que eles não devem esquecer (chapéus, blusa, toalha, etc), e deixe a responsabilidade de pegar tudo com eles. Eles quase sempre conseguem.
Talvez ajude se você fizer uma lista com o que levar (3 camisetas, 3 shorts, 3 cuecas) e deixe que eles escolham MESMO que eles escolham uma roupa super velha e manchada. A lista é particularmente útil para crianças novas, de até uns 11~12 anos.
Também deixe que eles cuidem das próprias coisas.
Se eles esquecerem ou perderem alguma coisa, paciência. Acontece. Não acuse, não brigue. Mas também não proteja. Deixe que eles sofram as consequências naturais dos atos (você não pode ficar brincando no sol o dia todo porque não trouxe o chapéu).
Minhas crianças já estão bem espertas com as coisas deles, mesmo que eles ainda percam uma coisa ou outra de vez em quando.
Além do mais, não precisa levar muitas coisa. A maioria dos lugares vende quase tudo.

ghibli museum tokyo japan

Apesar de estar fora de foco, essa é uma das minhas fotos favoritas da visita ao Museu Ghibli, em Tóquio, Japão

Marque alguma coisa para cada pessoa

Se você tem crianças com interesses diferentes, ou com idades muito diferentes, vai ser mais difícil. Ainda assim, tente encaixar coisas do interesse de cada um. Você pode ir pro Peru, ver Machu Picchu para um, carregar lhamas bebês para outra, ir ao cinema com outra, ver o Museo del Oro para agradar outra, passar o dia na praia em Lima para outra. Todos os países do mundo tem alguma coisa para agradar a todos. Talvez um dia no hotel jogando jogos de tabuleiro seja o suficiente pra ser o melhor dia do mundo pra alguém. Comece a conversa e descubra o que eles querem!

Inclua a todos nas escolhas

Chame pra perguntar a todos para onde querem ir, o que querem fazer, ou até aonde querem comer. Dê opções, se for tudo novo, tiver pouco tempo ou pouco dinheiro. Por exemplo, pode perguntar ‘Querem comer pizza ou cachorro quente?’ ao invés de perguntar o que querem comer; ou ‘Qual país da América Central você gostaria de visitar?’ ao invés de ‘Aonde você quer ir?’. Assim, se evita frustrações e todos ajudam a escolher.
A gente se surpreende na maioria das vezes.
E não tem a necessidade de pressioná-los. Se eles não querem/podem escolher, mais fácil pra você.

hobbiton nz

O Zé vendo o que tinha dentro de uma casa de hobbit, em Hobbiton, NZ.

Aqui ficam as nossas dicas sobre as malas. Todos os lugares que a gente esteve estão à direita: escolha um para começar!

Você segue a gente no Facebook? É lá que a gente fala sobre as coisas do dia-a-dia que a gente não conta por aqui!

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta