Tongariro Alpine Crossing, NZ

Quando visitar o Tongariro National Park, uma atividade obrigatória é o Tongariro Alpine Cross. Nada mais é que uma mistura de trilha e escalada de 19.4km. De acordo com os guias e informativos, o percurso pode ser concluído entre 6 e 8 horas (mais se o tempo não ajudar). Eu concluí o percurso em 7 horas debaixo de chuva e neblina, sem preparo físico e sem nunca ter feito caminhadas longas. Mesmo com tudo isso, qualquer um pode fazer, basta manter a calma, saber o seu limite e seguir a trilha passo a passo, respeitando a natureza e mantendo-se no caminho. Lembre-se, a caminhada é em um vulcão que ainda está ativo: caso o alarme de emergência disparar, mantenha-se fora dos vales e continue descendo.

Tongariro Alpine Crossing, NZ

Tongariro Alpine Crossing, NZ

A caminhada começa a cerca de 1100m de altura e chega até 1967m no topo do Monte Tongariro ou 2287m no topo do Monte Ngaruhoe. Ambos não fazem parte do trajeto original, mas podem ser feitos como extras durante a caminhada. Cerca de 2h, ida e volta, para cada montanha são necessárias, então tenha um bom planejamento para que possa chegar no horário no final. Eu fiz apenas o Monte Tongariro em 1.5h.

Tongariro Alpine Crossing, NZ

Tongariro Alpine Crossing, NZ

Ao chegamos no início do trajeto, o motorista passa algumas instruções e dicas, como onde decidir voltar atrás caso veja que não conseguirá completar o percurso e também quais horários e tempo máximos de cada parte.
Após essa pequena introdução, parti debaixo de neblina e com a temperatura por volta dos 10C. Fui sozinho, sem Thais nem crianças, mas com uma motivação incrível em imaginar-me no cenário de o Senhor dos Anéis.

Tongariro Alpine Crossing, NZ

Tongariro Alpine Crossing, NZ

A primeira parte da caminhada é fácil, de Mangatepopo até Soda Springs, 5km. Essa parte fiz em 1h e pensei que seria fácil concluir os demais 14.4km no mesmo passo: engano meu. Quando chego em Soda Spring, vejo um aviso dizendo para não continuar caso você não tenha certeza ou condicionamento físico. Esse é o ponto que o motorista nos avisou de quando voltar, pois a partir desse ponto, melhor ir até o final. Passado o aviso começa o que eles chamam de Devil Staircase, ou Escadaria do Diabo, vou deixar vocês imaginando o porquê do nome. Esse é o ponto mais difícil do percurso e te leva até o ponto mais alto da trilha, 1886m, tirando os picos.
Até esse ponto, foram 3h sem parar, ou melhor, parando em cada lance de escada pois a dor, o frio e a loucura estavam grandes. Do topo do Red Crater, decidi dar uma esticada até o topo do Mount Tongariro, um pouco mais de loucura e 1.5h ida e volta. Caminho tranquilo, mas escorregadio, com pedras e lama.

Tongariro Alpine Crossing, NZ

Tongariro Alpine Crossing, NZ

A partir desse ponto é só descida, ou seja, nada fácil, pois as pernas já não ajudam, o chão molhado, descida aguda e escorregadia. Ambos os lados eram barrancos e deu muito medo.
Foi a parte que mais demorou: desci muito devagar, contando os passos. O Blue Lake e o Emerald Lake ajudaram a relaxar e esquecer um pouco a descida.

Tongariro Alpine Crossing, Blue Lake, NZ

Tongariro Alpine Crossing, Blue Lake, NZ

A descida é longa, cerca de 13km de lama e pedras até a floresta perto do final.
Faria tudo novamente em um dia de verão, pois como vocês puderam ver pelas fotos, tive a visão bem limitada. Valeu cada momento, cada gota de chuva e lama.

Tongariro Alpine Crossing, NZ

Tongariro Alpine Crossing, NZ

Tudo isso é grátis pois fica dentro de um parque nacional, você precisa apenas arrumar transporte até o início e depois de volta do final. Qualquer acomodação nos arredores do parque faz esse serviço. Eu fiz com o pessoal do Macrocarpa Café (Tongariro National Park Village) e paguei NZD30, ida e volta. Saída 7 da manhã e retorno 4 da tarde.

 

O que levar:

  • Muita água, mínino 2 litros
  • Comida (eu levei sanduíches)
  • Frutas e chocolate (açúcar dá força e ajuda no emocional)
  • Máquina fotográfica ou filmadora

 

O que vestir:

  • Calçado confortável, de preferência próprio para trilhas
  • Camisetas e roupa de baixo de merino ou outro tecido exceto algodão
  • Calça ou short, exceto algodão
  • Jaqueta a prova de vento e água no caso de previsão de chuva

 

O que fiz errado

  • Calçando tênis “normal”: provavelmente em um dia de sol não teria problema
  • Levaria mais água, 2 litros foram suficientes, mas poderia ter mais
  • Comecei a caminhada sem minha camisa de merino e quando precisei pois estava frio e chovendo, tive de vestir assim mesmo, então molhei-me um pouco

 

Informações oficiais você encontra aqui (em inglês): http://www.tongarirocrossing.org.nz/

 

Todas fotos foram feitas com uma Polaroid Cube, que você encontra na Amazon:

AMAZON USAMAZON UK
0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta