Ryokan com onsen privado: a melhor opção para famílias

Uma das melhores coisas do Japão são os ryokans. Ryokans são as acomodações japonesas, os hotéis verdadeiramente japoneses. Não tem camas, só futons. Comida japonesa. E, na maioria das vezes, onsen – as piscinas de águas termais. Veja aqui nossa opinião sobre ryokan com onsen privado: a melhor opção pra famílias. 

Use essa imagem para salvar esse artigo no Pinterest! Fica mais fácil de encontrar para ler mais tarde.
Uma imagem prontinha para facilitar um pouco a vida de quem quer deixar para ler depois. Clique no botão vermelho SAVE no topo da imagem para adicionar ao Pinterest!

* esse post contém links afiliados – eles não custam nada para você e nos dão uma pequena comissão

O que é um Ryokan

Basicamente, ryokan é um hotel tradicionalmente japonês. Costuma ser 1 ou 2 quartos (por hóspede) em chão de tatami. Pode ou não ter banheiro privativo. Funcionários vêm arrumar as camas (futons), e voltam de manhã para guardá-los.

Você dorme nos futons, mas eles costumam ser bem confortáveis. Quem tem problemas de coluna vai achar difícil de levantar e deitar. 

A maioria dos ryokans oferece refeições. Pode ser 1 ou 2 refeições por dia. Escolha 2, se puder! 

O chá delicioso (matcha) e os docinhos que a gente recebeu quando chegou no hotel. Estava uma delícia, se bem que as crianças não gostaram, não. 😀

Como é ficar em um ryokan?

É muito legal. Vou contar como foi nossa última experiência. 

Chegamos no horário marcado. Nosso nome estava na placa de boas vindas. Depois de fazer o check-in, fomos levados ao bar, aonde recebemos matcha (o chá verde, mesmo) e um docinho japonês. Metade das crianças não gostaram nem do chá nem do doce, mas eu aceitei e comi o de todo mundo. Amo. 

Fomos levados para o nosso quarto, nos mostraram e, enquanto a gente estava colocando nossas malas no chão, eles guardaram nossos sapatos na sapateira e tiraram chinelos de madeira (gueta) para todo mundo. O Angelo e o João não conseguiram usar porque têm os pés enormes, hahaha. 

As crianças não gostaram de usar o yukata sozinho, então colocaram em cima da roupa normal, como se fosse um roupão. Vai entender!

Quando fomos ao restaurante jantar (nosso ryokan tem um restaurante, mas alguns servem a comida no quarto), o quarto estava meio bagunçado, com roupas e malas meio abertas. Quando voltamos, estava tudo arrumado, os futons no chão. Mágica! 

De manhã, saímos pra tomar café e, quando voltamos, as camas ainda estavam lá. Falhou a mágica. Mas aí os funcionários vieram e limparam tudo, deixaram yukatas (o kimono mais simples) limpos, mais docinhos, mais chá, e guardaram as camas. 

Foi ótimo. 

Comida de ryokan

Sei que é uma dúvida para a maioria das pessoas (principalmente quando se tem filhos), então vamos direto ao assunto. 

A comida é deliciosa e rica, mas é comida japonesa, chamada Kaiseki. Significa comida em cursos, sendo geralmente arroz, sopa de missô, picles de vegetais de manhã, por exemplo. De jantar, vem bastante frutos do mar, como caranguejos eremitas, sashimi de lula, etc. 

Esse foi o nosso café da manhã do primeiro dia. Simples, mas farto, colorido, saudável, variado. Enche muito, e foi uma delícia! Pena que eu não consegui comer tudo.

Por sorte, é MUITA comida, então deu para as crianças escolherem o que queriam comer e deixar o resto – e mesmo assim encher a pança. Não foi muito educado, mas acho que seria pior se ficássemos obrigando todo mundo a comer tudo, então… 

Geralmente, a comida é super boa, variada, e não deve haver problemas. Eles costumam perguntar se você tem alguma alergia ou preferência, então você deve poder escolher bem. A gente decidiu pedir a comida normal para ver como era. 

Vale a pena ficar em ryokan?

Bom, se você quer ter a experiência de ficar em uma acomodação bem japonesa, então, sim. Para quem quer conhecer o omotenashi (hospitalidade) japonês, é uma experiência necessária. E boa.

As cidades de onsen são, em geral, preparadíssimas para agradar aos turistas. A gente encontrou (e experimentou) esse spa de peixes por lá. Foi divertido.

É caro, sim, mas é uma experiência única. Do quarto, passando pela comida, à hospitalidade, tudo é lindo, tranquilo, e mágico. 

Então, sim, vale a pena ficar em um ryokan! 

Como é ficar Ryokan com crianças?

Minhas crianças adoraram os quartos grandes, com espaço suficiente para dançar e pular. E eles adoraram o yukata. Também adoraram todo mundo paparicando. 

Foi também uma boa oportunidade para conhecer uma comida verdadeiramente japonesa, e para mostrar como se deve apreciar e respeitar o trabalho alheio, já que eles viam as pessoas fazendo as camas, por exemplo. 

Foi um pouco difícil de fazer eles apreciarem a comida toda, ou de parar de pular no chão, mas aprenderam rapidinho e viraram crianças japonesas em pouco tempo. Uma pena que já voltaram ao normal. 

A vista da nossa banheira termal privada. Não é lindo? Dava pra ficar eternamente lá, aproveitando a água termal deliciosa, vendo as árvores se mexendo e os passarinhos passando

Regras e etiqueta em um ryokan

  • Primeiro de tudo, você não pode se atrasar. Chegue no horário arranjado pelo seu ryokan ou avise que vai se atrasar. 
  • Tem dúvidas, pergunte! Sério. Pergunte. Eles preferem que você pergunte do que ter que chamar sua atenção quando você estiver fazendo alguma coisa ‘errada’. 
  • Seja educado. Agradeça (é ‘arigatô gozaimasu’) sempre. Não só no ryokan, mas em todo o país. 
  • Sapatos: alguns ryokans pedem para que você tire os sapatos antes de entrar, outros aceitam sapatos até a porta do quarto. Observe as pessoas ao seu redor ou pergunte. Nunca use sapatos nos quartos. 
  • Bagagem: os chãos de tatami são delicados, então evite malas de rodinhas. Carregue, se possível. Se não conseguir, peça para que os funcionários te ajudem. Em geral, as malas podem ficar em qualquer lugar do quarto, menos no Tokoma (uma área com chão de madeira, elevada, aonde fica um vaso, geralmente). 
  • Portas de papel: a maioria dos ryokans têm as portas e paredes de papel. Elas são delicadas, então não fure, ou encoste com dedos sujos. 
  • Futons: funcionários vêm forrar de noite e guardar de manhã. Você não faz nada. 
  • Evite barulhos em áreas comuns. Básico também, né?
  • Yukata é o kimono mais simples. Os ryokans geralmente oferecem um para cada pessoa do grupo e você pode usar no ryokan, pela cidade, ou não usar. Só siga essa regra para usar corretamente. Alguns ryokans pedem para que não se use os yukatas nos bares e restaurantes, então pergunte se tiver dúvidas. Aliás, o yukata deve ficar no hotel quando você for embora. 
  • Estacionamento: nem todos têm estacionamento. Pergunte antes de chegar. 
  • Pagamento: apesar da maioria dos ryokans hoje em dia aceitar cartões de crédito, alguns não aceitam. Pergunte antes ou leve dinheiro o suficiente para cobrir seus gastos. 
  • Gorjeta: não se dá gorjeta no Japão. Se você quiser muito, coloque o dinheiro em um envelope e entregue diretamente à pessoa que você quer presentear. Nunca entregue dinheiro sem envelope, isso é considerado falta de educação. 
A vista do bar do ‘nosso’ ryokan. Que delícia que foi sentar na tranquilidade e ver o céu mudando aos poucos.

O que é onsen?

Onsen são as banheiras de águas termais. Podem ser comunais, aonde você divide com outras pessoas, ou privado. Pode ser separado entre homens e mulheres ou pode ser junto. 

Outra coisa é que podem ser piscinas naturais ou banheiras usando águas termais. Podem ser internas ou externas. Pode ser em um ryokan, em um hotel, em um alojamento, ou só uma casa de banhos. São tantas opções diferentes que não dá para cansar. 

A única coisa que é igual sempre: a água vem de uma fonte de águas termais natural, e é quase sempre na temperatura perfeita. 

Um pequeno porém: a maioria dos onsens comunais não aceitam pessoas com tatuagem. Bom, se você tiver uma pequenininha coberta por um band-aid, por exemplo, tudo bem. Quem tem tatuagens grandes (como no braço todo, ou nas costas), vai ter mais dificuldade. Pergunte antes de agendar, pergunte de novo quando chegar. É melhor ter certeza do que ser retirado da banheira. Algumas vezes, pessoas com tatuagem podem usar as banheiras comunais fora dos horários de pico (geralmente só de madrugada) para não atrapalhar os outros hóspedes. 

Duas regrinhas: se lave ANTES de entrar na banheira. Geralmente tem torneiras ou chuveiros, e produtos de banho (xampú, sabonete, etc). E vá pelado. Nada de roupa de banho! 

Por que escolher um onsen privado, ou como eu chamo, um onsen familiar? 

São muitos os motivos para escolher um onsen privativo, especialmente para quem tem filhos. Veja os meus motivos abaixo:

  • geralmente, quando há onsen privado, também há o onsem comunal. Assim, você pode ter as duas experiências. 
  • tatuagens não são um problema
  • crianças podem tomar banho com quem quiserem, não importando o sexo. 
  • você não precisa sair da banheira porque as crianças cansaram, nem entrar na banheira porque o filho quer. Você só precisa ficar de olho (ou ter alguém cuidando deles). 
  • dá pra tomar quantos banhos você quiser, sem precisar cruzar o ryokan para isso. 
  • não sei se todos os adolescentes são assim, mas os meus não gostam de tirar a roupa na frente de estranhos, então, era privado ou nada. 
  • você não pode tirar fotos em um onsen, a não ser que seja privado. 
A cidade de Yufuin, aonde a gente se hospedou, ficava lotada de turistas o dia todo, mas assim que os comércios fechavam, todo mundo ia embora e as ruas ficavam assim.

Os melhores onsens (e ryokans) do Japão

Bom, muitos lugares são famosos por causa da qualidade da água, mas esses 3 são os mais populares.

Kusatsu, Gunma

Um dos onsens mais famosos do Japão pela qualidade da água – que flui de uma das 3 maiores nascentes termais do país. 

Beppu e Yufuin, Oita

Beppu é a cidade de onsen mais antiga do Japão, e Yufuin é considerada a melhor cidade de onsen do país. Essa foi a nossa escolha. Leia mais sobre a região aqui! 

Hakone, Kanagawa

Há 1 hora de Tóquio, e com vistas incríveis do monte Fuji, não tem como não ser popular! 

Está preparado para agendar seu ryokan com onsen privado no Japão? Veja algumas opções abaixo! 

Booking.com
0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.