Nômade Digital – Realidade

Como um nômade digital de sucesso você será acusado de vender um sonho impossível. Vão falar que você é pago por uma empresa e que passa a vida viajando pelo mundo e tirando fotos de comida e natureza.

Isso é verdade? Não, quem dera!

ngauruhoe-new-zealand

Ngauruhoe, New Zealand

Assim como todo mundo, um nômade digital tem seus próprios problemas. Na verdade, as vezes temos mais pesadelos do que sonhos, mas o único problema que um nómade digital não tem é um chefe. A vida na estrada é emocionante, cansativa, desafiadora e cheia de inconvenientes, mas, nenhum que não possa superado, e se você der o seu melhor, encontrará soluções para cada um. Tudo ao nosso redor é consequência do que queremos, então se você começar com a idéia de que não consegue fazer uma determinada coisa, você não terá motivação para criar soluções ou recursos para realizá-la, simples assim.

Para tornar-se um nômade digital, obrigatoriamente, você precisa começar a pensar positivo e acreditar em seu poder de mudar o mundo e só depois disso que você vai conseguir escapar da vida de escritório.

A vida na estrada não é fácil e espero que este post ajude a melhor entender o que significa ser um nômade digital. Meu objetivo não é dissuadi-lo e sim prepará-lo para o que é significa.

Trabalhos e seus desafios

Há muitas vantagens em ser seu próprio patrão, mas o número de desvantagens também é grande. Primeiro, você tem que lidar com todas as coisas que seu chefe estava lidando e segundo, se antes o trabalho era dado, agora você tem que persegui-lo.

Marketing, o maior problema do nômade digital. Você gasta mais tempo à procura de trabalho ao invés de realmente trabalhar. E se você está procurando trabalho, então você não vai ser muito “nômade” durante este tempo.

Tempo e dinheiro normalmente trabalham contra você. Você tem acordado com um cliente para entregar um projeto amanhã e ser pago uma certa quantia, mas esse amanhã é na verdade o seu hoje e que a taxa de câmbio hoje não é boa (no caso de você ser pago em moeda local).

Além de tudo isso, o chamado equilíbrio entre trabalho e viagens é sempre desbalanceado. Sempre mais trabalho do que viagem. Por quê? Você está em uma batalha constante consigo mesmo, dividido entre explorar a cidade e realmente trabalhar. O dia de trabalho de um nómade digital é de 12-15 horas. Tudo isso porque você tem que entregar 20 coisas e o prazo está logo ali e você tem apenas mais um dia na cidade em que está e honestamente não trabalho o suficiente por causa de preguiça ou comodidade.

Tecnologia

new-zealand

Weather not always helping!

Um extra para os nômades digitais, tecnologia. Seu computador vai pifar antes de entregar um projeto, seus carregadores vão parar de funcionar e encontrará um problema ou dois que você achava impossível acontecer.

Na maioria das vezes, somente em cidades grandes você encontra internet decente e serviços, o que torna viagens a locais remotos difíceis ou apenas de finais de semana.

No entanto, o problema 24/7 de todos os nómades digitais têm, é a falta de uma conexão estável.

Viajar não é fácil

Definitivamente não! Talvez seja a coisa mais desagradável da vida nômade. Documentos tem um papel muito importante aqui. Em alguns países, você será questionado e averiguado inúmeras vezes, porque eles podem duvidar de suas intenções. Além disso, não pense em perder o seu passaporte (nunca perdemos e espero nunca perder).

Hospedagens, que algumas vezes não fazem jus a foto. Depois que todo tempo gasto entre aeroporto e transporte, tudo o que você quer é uma cama confortável e um bom chuveiro.

Mudanças de estações quando se está viajando são terríveis. Mudar de verão para inverno farão você ter saudades das roupas que deixou para trás.

Feriados nacionais, sempre um problema para viajantes. Você sempre precisará de algo e tudo estará fechado.

Fuso horário são terríveis. É difícil gerencia-los e você acabará calculando horas e minutos cada vez que você tem que enviar um e-mail sem que ninguém saiba que está trabalhando as 4 da manhã.

Por último, taxas bancárias. Infelizmente, todo nómade digital utiliza banco e casas de câmbio e qualquer desvalorização drástica de moeda pode quebrar o seu orçamento.

train rail

Long way. Positive mind!

No mais, após 8 meses na estrada, o que nos incomoda:

  • falta ou qualidade da internet;
  • quando perguntam nosso endereço físico e não temos;
  • frio. estamos evitando lugares frios (não temos roupas de frio em nossas malas) mas chegará uma hora que precisaremos e dai faremos uma visita a uma loja de roupas de segunda mão;
  • taxas bancárias;
  • deadlines.

E você? Algo incomodando? Como conseguir lidar com os problemas?

3 respostas

Trackbacks & Pingbacks

  1. […] veja abaixo, algumas idéias sobre o assunto. Depois, você pode ler meus posts relacionados: realidade da nômada digital, medos, produtividade, zona de conforto e a vida sem […]

  2. […] Angelo continua trabalhando. Ele trabalha quase todos os dias, com os clientes antigos. Teve um mês de ‘férias’ no […]

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta