Nara, Japão, com crianças

kofukuji, nara

Kofukuji, Nara

A gente queria muito visitar Nara, mas nosso tempo em Osaka (o lugar mais próximo que a gente visitaria) era curto e a gente não sabia se conseguiria ir. Depois do tufão, tivemos um dia de tempo mais ou menos (choveu de tarde) e decidiu, do nada, ir. E ainda bem que a gente foi. Então, em setembro de 2016, a gente visitou Nara com as crianças.

Nara, Japan

Existem muitos templos em Nara, e a maioria é gratuita

A gente saiu de casa pouco depois das 9 da manhã. Demoramos mais ou menos 40 minutos de casa até a estação de metrô de Nara. Foi no dia seguinte ao tufão e, apesar de ter nossas dúvidas sobre o tempo, resolvemos ir em frente. A gente tinha pouco tempo por lá de qualquer jeito. Estava nublado, mas ainda quente e úmido.

feeding Nara deer

Coral, 4, alimentando um cervo em Nara

A gente saiu do trem e andou em direção ao parque, seguindo as placas (são muitas), por 5 minutos até encontrarmos o primeiro cervo e, claro, o primeiro vendedor de shika-senbei (ou biscoito para cervos). A gente comprou um pacote para cada criança e começou a alimentar os cervos ali mesmo. Eles são fofos e a gente estava dando biscoitos inteiros até o Angelo avisar que dava para dar em pedaços pequenos. E mesmo assim, eles vinham para comer um pedacinho pequeno de biscoito das nossas mãos delicadamente. Eles podem ficar agressivos quando percebem que se tem comida envolvida, apesar da gente não ter visto nada assim. Os cervos que vinham pedir comida para nós, vinham e levemente puxavam a nossa roupa com a boca. Um deles tentou pegar a minha roupa e me deu uma mordida na barriga. A gente riu, brincou e continuou o passeio.

cleansing ritual

Angelo, José e Coral se purificando para entrar no templo

Uma adendo: não precisa comprar os biscoitos logo no primeiro vendedor, porque são muitos e eles estão por todos os lados. Sempre ficam vários cervos perto dos vendedores. E dêem em pedacinhos, não biscoitos inteiros.

Logo depois encontramos muitos, mas muitos cervos.

Eles chegavam a assustar, porque quando viam que a gente tinha os biscoitos, vinham em bandos e nos cercavam. Eles conseguiriam, facilmente, derrubar o Zé e a Coral, mas não fizeram. Eles davam mordiscadas nas nossas roupas para pedir mais biscoitos, mas eram bem gentis. A gente se divertiu bastante com eles.

Todaiji, Nara, Japan

O caminho para Todaiji, Nara

Um deles, perto do Todaiji, veio para perto do Angelo e começou a esfregar a cabeça nele. Ficaram os dois lá, se conhecendo, por um tempo. Foi fofo.

Uma dica: os humanos, quando vêem que alguém tem biscoitos, vão chegando e tirando várias fotos de você com os cervos. Talvez você precise estabelecer alguns limites.

Depois que os nossos biscoitos acabaram, a gente foi ver os templos.

Nara deer

Dentro desse templo, segundo o Angelo, havia monges meditando enquanto turistas conversavam e tiravam fotos

A gente entrou primeiro no Kofukuji (pago) e nos templos de 3 e 5 andares. Eles são lindos, mas a gente só podia ver o primeiro andar, o que foi meio decepcionante. A gente também não podia tirar fotos da parte de dentro. Tinha bastante gente, mas como tudo no Japão, é tudo bem organizado.

O último que fomos ver foi o Todaiji (pago), aonde fica uma das maiores estátuas de Buddha do Japão. É bem grande, e o local é bem cheio. A gente demorou um tempo até conseguir acender o incenso antes de entrar, mas esperamos nossa vez e fizemos. A Coral quebrou o incenso dela – eles são delicados – mas foi tudo bem. Rezamos antes de entrar (eu só agradeci por tudo e as crianças provavelmente só juntaram as mãos) e vimos o Buddha. Ele é bem grande, mas foi difícil prestar atenção nele. As pessoas que estavam dentro do templo estavam completamente selvagens e eu fiquei com medo de alguma das minhas crianças acabar sendo carregada pela multidão e acabar perdida, então eu não aproveitei nada. Tirei algumas fotos que não ficaram boas e passei a maior parte do tempo olhando as crianças.

Nara deer selfie

O cervo mais fofo do universo

As crianças não gostaram muito do Buddha, mas se encantaram com a maquete do templo que estava a mostra: tinha até a estátua do Buddha em miniatura dentro.

Para ser bem sincera, a parte externa dos templos é muito mais bonita e agradável do que a parte interna. Os jardins são maravilhosos, as fontes aonde se lavam as mãos para entrar nos templos purificado são lindas, os cervos, os caminhos cenográficos…. Se a gente for para Nara de novo, com certeza, a gente ficaria passeando sem entrar nos templos. É um lugar lindo, que merece ser visitado.

Nara walks

Os caminhos de Nara são lindos

Enquanto estávamos descansando fora de um dos templos, eu sentei na escada e um cervo veio pertinho e me deixou tirar essa selfie. Foi divertido e as crianças morreram de inveja. haha. Esse cervo em especial ficou por lá um tempão, uma pena que a gente não tinha mais biscoitos.

Decidimos comer alguma coisa lá pras 4 da tarde, quando começou a chover e, adivinha? Tudo estava fechado. Os restaurantes reabriam às 5 da tarde para o jantar, então ficamos com pouquíssimas opções. Acabamos comendo em um café (Baby Face Planet) perto da estação de Kintetsu. A comida era boa, não maravilhosa, mas ainda assim boa. Pedimos um parfait gigante de sobremesa. Não valeu o preço porque mais da metade da caneca era cheia de cereal, mas ainda assim foi divertido.

Todaiji Buddha

O grande Buddha de Nara

Terminamos o dia cansados, mas com crianças felizes – eles amaram os cervos. Quando eu mostrei o roxo da mordida do cervo, ninguém acreditou. Como pode um bichinho tão fofo deixar uma mordida daquelas?

Mesmo assim, amamos.

Confiram nosso vídeo!

SaveSave

1 responder

Trackbacks & Pingbacks

  1. […] O parque dos cervos em Nara. Aonde mais a gente veria […]

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta