Milford Sound, NZ, com crianças

milford sound on a foggy, rainy day and low tide.

Em Milford Sound (que não é um sound, e sim, um fiorde)

A gente estava indo de Invercargill para Kingston quando viu a placa dizendo ‘Milford Sound’. Era antes do meio dia e a gente estava à meia hora de distância da próxima casa, onde a gente só poderia entrar depois das 4 da tarde. Aí a gente pensou ‘O que a gente tem a perder?’. O dia estava lindo, as crianças estavam bem e felizes, a gente estava bem. O carro precisava de gasolina, mas a gente podia parar em Te Anau e encher o tanque.

Chegamos no mapa: 2 horas e meia pra chegar lá. Beleza.

Depois de uns 40 minutos de estrada, um pássaro voou pro meio do nosso para brisa. Coitado. Eu senti meu estômago doendo todo o caminho depois disso. Quando paramos em Te Anau, eu já estava me sentindo mal e a gente tinha pressa: ainda tinha que comer, comprar o café da manhã do dia seguinte e o jantar daquela noite. O primeiro lugar que a gente entrou era um pub e não dava pra levar a comida pro carro. O segundo tinha comidas prontas, tipo tortinhas e enroladinhos, mas era um lugar pra caçadores, cheio de cabeças de cervos pelas paredes, fotos de caras orgulhosos segurando um animal morto e o passarinho que a gente atropelou ainda pairando pela minha cabeça.

Peguei a única coisa vegetariana que tinha, um enrolado de queijo e espinafre, e saímos o mais rápido possível. Felizmente, tinha um mercado pertinho e já compramos pão, leite e sei lá mais o quê que eu não lembro.

the walk to milford sound

A família semáforo na caminhadinha curta do estacionamento até Milford Sound

Então dirigimos as 2 horas restantes por uma das estradas mais lindas do mundo. E eu digo, MUITO linda. Tão incrivelmente linda que fica difícil encontrar mais palavras pra descrever. Corredores de árvores, arbustos, a vegetação natural da NZ, com grama alta e dourada, rios, lagos, montanhas e cachoeiras. Mesmo a chuva que teimou em cair não conseguiu estragar a beleza.

A gente estava encantado com a estrada maravilhosa quando chegou em Milford Sound.

{musiquinha triste tocando}

Estava com uma neblina terrível que mal deixava a gente ver as montanhas. Estava chovendo o suficiente que a gente não conseguia passear tranquilamente. A maré estava super baixa e não dava nem pra ver a água. Tinha umas mosquinhas minúsculas irritantes que ficavam voando em volta da gente, dentro dos nossos olhos, narizes, bocas e orelhas. E tudo cheirava a peixe. A Coral ficava dando chilique por causa dos insetos. Os meninos estavam até se divertindo com os bichinhos, mas mesmo pra eles foi demais. Angelo conseguiu matar um dentro do olho, que ficou todo vermelho e irritado por várias horas depois.

kea on the road

Cadê o kea?

Ainda era bonito, sabe. Montanhas e neblina são uma combinação que dá certo, mas definitivamente não foi o que a gente queria ver. Ou mesmo o que a gente vê nas fotos das outras pessoas.

A gente ficou por lá por menos de uma hora quando resolvemos que já estava bom. Então, no caminho de volta a gente não estava mais felizes e contentes e bem comportados.

A gente precisava passar por um túnel bem longo e onde só passa um carro por vez. Estávamos parados, esperando o semáforo ficar verde quando um kea (uma arara neozelandeza) parou do lado do carro. Angelo ficou tentando tirar foto. O kea percebeu, deu a volta pelo carro e subiu no parabrisa. Eu fiz o videozinho para você ver. A gente só não deu comida pra ele porque tinha placas dizendo para não alimentar os keas.

Depois de um tempinho que ele voou para cima do carro, outro kea veio para o retrovisor. Foi muito divertido. O primeiro kea, em cima do teto do carro, ficava andando pra lá e pra cá, aparecendo só com a cabecinha em uma janela ou outra, fazendo graça.

weka at milford sound

Tinha um weka no caminho…

Foi muito legal. A viagem valeu só pelos keas.

Isso porque nem falei dos 2 wekas (outro pássaro neozelandez). Um bem na frente da gente, no meio da passagem, em Milford Sound, nem ligando pra gente, e o outro atravessando a rua enquanto a gente era entretido pelos keas.

Depois disso ainda tivemos tempo para parar no Mirror Lake (Lago Espelho) e ver o pôr do sol dali. Foi lindo e frio: uma cena inesquecível.

mirror lake

O incrível Mirror Lake e a gente!

Os últimos 90 minutos da viagem pra ‘casa’ pareceram infinitos porque estava escuro e a gente não conseguiu ver nada. Mesmo assim, valeu a viagem!

No caminho de Te Anau para Milford Sound (ou o contrário), existem muitos habitats de keas. Em muitos, tem locais onde dá pra parar o carro e encontrar alguns pássaros. É bem legal. E, espero, você ainda vai conseguir ver Milford Sound como deve ser.

E o nosso curta!

2 respostas

Trackbacks & Pingbacks

  1. […] e ficamos por 10 dias. Foram pouco mais de 2 horas e 168 km de viagem, então decidimos passar em Milford Sounds. Foram 3 horas por um caminho lindíssimo, mas o fiorde não foi assim, uma maravilha. Talvez a […]

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta