Melhores Mochilas para bagagem de mão – e como encontrar a mala perfeita pra você

Para quem viaja, a mala faz toda a diferença. Ela pode tornar qualquer viagem um inferno ou fazer tudo correr mais fácil. Saiba mais sobre isso!

Um pin prontinho para facilitar um pouco a vida!

A gente está tentando viajar só com bagagem de mão e está sendo tranquilo até agora. A gente não carrega mais nada que não precise, e a gente quase sempre precisa comprar coisas no nosso destino (xampú, comidas, papel de origami, etc), mas o tempo que a gente economiza vale o esforço de viajar leve. Então, fizemos uma lista com as melhores mochilas para bagagem de mão – e como encontrar uma perfeita pra você.

Nós não acampamos, então não precisamos levar aquele monte de coisas. Quase nunca vamos para lugares de difícil acesso, então encontramos tudo nos nossos destinos.

Tentamos manter as mochilas abaixo do peso estipulado pelas companhias, e quase sempre a gente consegue. As malas com computadores e câmeras, infelizmente, são pesadas.

Ah, já até ouço as pessoas preocupadas com o peso das mochilas das crianças, mas acreditem, não é tão pesado e eles nunca carregam por tanto tempo que vá causar algum problema. Nos aeroportos, tem os carrinhos. De lá ou para lá, a gente sempre usa algum meio de transporte como taxi, trem, ou ônibus, então nunca precisamos carregar nas costas por muito tempo.

Preferimos mochilas do que malas com rodinhas porque as rodinhas adicionam peso inútil e tiram um espaço que seria útil, mas de vez em quando, a gente preferiria ter rodinhas. Aquelas com rodinhas e motor. Haha.

* esse post contém links afiliados. Se você comprar alguma coisa através deles, não vai ter custo adicional nenhum e a gente recebe uma pequena porcentagem. 

 

 

As mochilas que a gente usa

Osprey Farpoint 55

Depois de muita pesquisa, escolhi a minha mochila: a Farpoint 55 tamanho pequeno/médio. Ela é pouca coisa maior que o limite de algumas companhias, mas é tão pouco que ninguém se importa.

Levei pela nossa viagem pelas Américas, pelo Japão, e pela Nova Zelândia, e nunca ninguém quis medir ou pesar. Nunca.

São, na verdade, duas mochilas: uma grande de 38 litros e uma pequena, de 15 litros. Eu geralmente carrego o computador, passaportes, passagens, e alguns remédios dentro da mochila pequena, enquanto a grande vai com as roupas, sapatos, carregadores, o resto dos remédios, xampú e etc.

The Osprey Farpoint 55 is always mentioned as one of the best carry-on bags on the market. And indeed it is. We've been carrying is for over a year now, no regrets! Click to know more!

Essa é a nossa Osprey Farpoint 55. É grande o suficiente para caber tudo, mas pequena o suficiente para poder ser bagagem de mão.

Os defeitos da Osprey Farpoint 55

Ela é um pouco grande para ser bagagem de mão para algumas companias, por algum motivo estranho. Mas tudo bem, é pouco então a não ser que peçam para você enfiar a mochila naqueles medidores, não há problemas. Mesmo que peçam, quase sempre dá para dar um empurrão nela e, como ela não é rígida, ela cabe.

Uma das coisas que eu não gosto dela são as faixas de compressão. Ela tem duas internas e duas externas, mas quando eu aperto, minha mochila fica parecendo um boneco de neve. Fora que a externa é só na parte da frente, então só dá para apertar até certo ponto.

A mala grande também não tem bolsos externos, e só dois bolsos internos. São 2 bolsos internos de rede na aba, mas acho que poderiam colocar 2 externos, dos lados, ou na frente, ou nas costas, em qualquer lugar. Ajudaria.

A última coisa que eu detesto nela é a cor. Odiei todas as cores disponíveis, mas acabei ficando com a azul, a pior, porque a loja só tinha aquela cor feia no tamanho pequeno.

As qualidades da Farpoint 55

É leve, cabe tudo e mais um pouco, e é uma mochila de viagem, que se abre inteira, como se fosse uma mala. Não é como uma mochila, que só abre até o meio ou só em cima. Muito melhor. Ajuda muito na hora de fazer a mala e quando eu preciso encontrar alguma coisa.

O zíper é excelente, abre e fecha fácil, mesmo depois de um ano e meio de uso constante.

É pequena o suficiente para caber no compartimento dos aviões.

A mochila pequena é ótima, cabe um computador de 15” (meio apertado, mas cabe). Adoro o monte de bolsinhos externos e internos que ela tem, uso todos muito, me ajuda a manter tudo organizado e ao alcance. Ela tem um bolso nas costas (fica entre a mochila e as costas do usuário) que eu amo! Jogo ali minha carteira, ou os passaportes, as passagens, ou qualquer coisa que eu precise ficar pegando e guardando direto. Ótimo lugar para guardar o celular também, fica difícil para roubarem, mas de fácil para o acesso do usuário.

As alças das duas mochilas são super confortáveis. Se for ajustada corretamente, não parece pesada mesmo quando está cheia.

Os ajustes são ótimos e de fácil acesso, fáceis de usar.

Se eu quero, posso fechar as alças e transformar em uma mala normal. É ótimo para quando eu quero despachar ao invés de usar como bagagem de mão.

Deuter Transit 50

O Angelo comprou essa depois que a gente andou por toda a cidade de Toronto atrás de uma Osprey Farpoint 40 para ele.

É linda e dentro dos limites de bagagem de mão, então, perfeita!

É cinza, meio quadrada, o que maximiza o espaço interno, e vem com uma mochila pequena muito fofa.

The Deuter Transit 50 is one amazing carry-on backpack. It's a bit above the carry-on size, but if you don't fill it to the brim, it doesn't look big.

Essa é a Deuter Transit 50. É nova, tem uns 6 meses de uso (na hora da foto, pelo menos). Cabe TUDO dentro, até o patinete da caçula. A gente não carrega senão teria que despachar a mala, mas cabe.

 

 

Os defeitos da Deuter Transit

Ela tem ainda menos bolsos que a Osprey. A mochila pequena tem um bolso externo e um interno. Nada para carregar água. Não gosto, mas funciona para levar computadores de até 13” bem apertado.

A mala grande tem 2 faixas de compressão internas, e do lado de fora, são duas faixas de cada lado – não vão para a frente da mala. Não sei se é bom ou ruim, mas não é muito útil.

As qualidades da Deuter Transit 50

É linda. Abre inteira, como uma mala, o que é excelente. O zíper é ótimo também. A mala tem uma parte inferior que pode ser fechada e usada como bolso para sapatos, coisas de banheiro, roupas sujas, e etc, mas também pode ser deixada aberta, como continuação do compartimento principal. O Angelo não viu muita utilidade nisso, mas eu acho legal ter a opção.

Ela é um pouco grande, mas do mesmo tamanho da Farpoint 55 M/L. Por algum motivo, parece que cabe muito mais lá do que na minha. O Angelo carregou desde o Canadá e ninguém nunca falou nada (Canadá, Costa Rica, Nicarágua, Colômbia, Brasil, Nova Zelândia).

É uma mala confortável, com alças super gostosas. As faixas do quadril também são ótimas.

O ajuste é fácil e tranquilo, mesmo quando a mala está cheia e fechada.

As alças também podem ser guardadas e ela pode ser usada como mala de ombro ou de mão.

Outras opções

Existem muitas outras que a gente pensou em comprar, mas acabou não levando por algum motivo. A gente sempre prefere experimentar as malas, já que não somos pessoas tamanho padrão, então fica fácil errar. Pensamos na Osprey Farpoint 40, a Kelty Redwing 44, e a Tortuga. A gente queria muito experimentar todas, mas não encontramos.

As mochilas das crianças

Kathmandu Voltai 40L

Kathmandu's Voltai bag is another carry-on option. It fits a lot of stuff while being small. It's sturdy and holds up super well.

A Kathmandu Voltai 40. É pequena, mas cabe muita coisa. E é fofa, né?

Essa é a da Melissa. Compramos antes da viagem e serviu nela bem. Ela cresceu muito desde então, e ainda serve tranquila. É uma mochila de adulto, então deve servir eternamente. Veremos.

É rosa, é grande, e abre toda a parte da frente, que é importante. As faixas de compressão, no entanto, ficam bem na frente do zíper, e elas são um zigzag chatinho que dificulta um pouco o abre-e-fecha. Assim, não dá pra abrir o zíper sem tirar as faixas de compressão, o que é meio burro.

O sistema de ajustes é ruim. Ele vai se soltando com o tempo, então toda vez que vamos viajar, a gente precisa ajustar a mala de novo. Agora fazemos rapidinho, mas antigamente a gente demorava uns 10 minutos, o que não era legal.

A mala é super resistente, não parece que foi arrastada e jogada pra lá e pra cá por mais de um ano.

É um pouco mais comprida que o tamanho padrão de mala de mão, mas como nunca fica cheia, dá pra amassar a parte de cima e encaixar nos medidores de mala tranquilamente.

Tem 4 bolsos externos e dois bolsos de água, o que é ótimo para manter tudo organizado.

Kathmandu Nowaki 32L

Kathmandu Nowaki is a carry-on size top-loader backpack. Well, it works well even though it's not the most practical backpack ever.

Essas malas top-loaders são super seguras e oferecem mais resistência contra chuva, mas são muito, muito pouco práticas

Essa é a do João.

Compramos logo na fase de planejamento, e foi um erro. É uma mochila com abertura superior, e é horrível para guardar ou encontrar coisas. Ele gosta dela. A gente ofereceu trocar a mochila dele por uma melhor, mas ele recusou. Talvez seja o melhor, assim a gente compra uma mala boa pra ele quando ele crescer um pouco mais. Apesar de ser uma mochila de adulto, é ótima para pré-adolescentes.

Tem 4 bolsos externos, e ele enche até a boca, mas como é pequena, nunca tivemos problemas. Fica abaixo do limite de bagagem de mão, então é tranquilo.

As alças são boas, ainda servem bem nele, mas a gente está esperando que ele vá perder ainda esse ano.

Não tem nenhum sistema de compressão, o que é um defeito, apesar de que nunca vimos uma mochila com boa compressão.

O problema com malas top-loaders (que só abrem na parte de cima) é que, para se pegar alguma coisa que está no fundo, ela precisa ser esvaziada completamente. Odeio. As coisas dele quase sempre ficam espalhadas pelo quarto porque dá muito trabalho tirar e guardar tudo toda vez.

 

 

Osprey Nebula 34L

The Osprey Nebula can be a big sized daypack or a great sized carry-on. Easy to pack, great quality, reasonably priced.

A Osprey Nebula. É uma mala tima e pequena, cheia de compartimentos para manter tudo organizado!

Essa era a mala de mão do Angelo, mas agora é a mochila do Zé. Como qualquer Osprey, a garantia eterna é uma qualidade infinita, e mostra que é uma mala bem feita.

Ela nem tem uma faixa de quadril, o que é horrível, mas as alças são super bem acolchoadas e confortáveis.

Tem o compartimento do computador, com um bolso acolchoado aonde só cabe o computador e é excelente.

Tem vários outros compartimentos e bolsos. É confuso até você se acostumar com ela. Depois de acostumar, no entanto, não há volta. O Zé tinha uma bolsa de abertura superior antes, então vai demorar um pouco até ele acostumar.

Cabe tudo dentro, mas fica meio estranha no Zé, que é bem magrinho para os seus 10 anos – e uma mochila adulta.

A falta do cinto de apoio do quadril é um defeito grande, mas é uma mala boa, que vai durar muito tempo com ele. Também acho que ele vá crescer bastante nesse próximo ano, então deve servir melhor aos poucos.

Toto 32 L de rodinhas

For smaller kids, a wheeled backpack is a great option, as pulling it is a lot easier than hauling it - and it's easier for the parents to help pull it if needed.

Essa é a mala da Coral. É sempre a mais cheia, porque ela sempre encontra alguma coisa muito legal pra enfiar na mala. É pequena e só foi parada na Colômbia porque as rodas e o puxador deixavam ela maior que o tamanho máximo das bagagens de mão da companhia de baixo custo.

A Coral tem uma mala de rodinhas porque ela nunca conseguia carregar a mala dela e assim fica mais fácil quando a gente quer ajudar.

Ela ganhou no aniversário dela no Peru, e amou que é rosa e cheia de corações.

É grande o suficiente para caber todas as roupas, a jaqueta, os sapatos, a toalha e os brinquedos. Ela só abre até a metade, mas ainda é melhor que as com abertura superior. Os bolsos externos são pequenos para garrafas de água, mas os bolsos da frente são grandes e cabem muita coisa.

O que a gente gostou nessa mala é que pode ser carregada como mochila ou como mala de rodinhas. Tem até uma abinha para não deixar as rodas encostarem na roupa quando ela quer carregar nas costas, mas que servem para segurar as alças quando ela quer puxar.

Espero que ela use ainda por alguns anos até ser grande o suficiente para carregar uma mochila boa.

A mochila de criança dela era muito pequena para caber tudo, então era chato quando ela queria alguma coisa em especial, mas que estava na mala de outra pessoa. Aí a gente tinha que ficar procurando por todas as malas pra encontrar.

Como encontrar uma mala perfeita para você

É complicado para explicar sem estar presente, mas responda a essas perguntas:

– Você consegue carregar uma mala de 7~10 kg nas costas por uma hora ou mais sem problemas? Se não pode, talvez seja melhor escolher alguma coisa com rodinhas.

– Você prefere uma mala rígida ou algo mais maleável, aonde sempre cabe um pouco a mais? Eu sei que uma mala rígida não me deixaria enfiar uma outra caneca dentro, mas dentro da minha mochila, eu consigo. Mochilas ou malas com rodinha, mas que não são rígidas funcionam aqui.

– Você vai precisar despachar a mala de vez em quando, sempre, ou prefere viajar leve? Se você pretende despachar uma mala também, então uma mochila ou bolsa pequena que dê para carregar pendurada na despachada é melhor, então algo menor e sem rodinhas tendem a ser melhor. E como você vai ter todo o espaço de uma mala grande, sinceramente, pode ser algo bem pequeno.

– Você quer poder viajar só com bagagem de mão, mas quer ter a liberdade de despachar quando bem entender? Então procure alguma mala que guarde as alças para evitar que se danifiquem. A Osprey Farpoint 55 e a Deuter Transit 50 são excelentes exemplos!

– Para onde você costuma viajar? Se você costuma usar apartamentos sem elevadores, por exemplo, ou vilas sem pavimentação, então uma mochila ou uma mala de rodinhas, mas que possa ser carregada nas costas é melhor. Senão, qualquer coisa funciona.

– Experimente! E tente colocar um peso ali, porque é necessário saber se a mala vai servir confortavelmente.

A gente escolhe as mochilas porque não sabia que tipo de viagem a gente queria fazer. Gostamos de tudo e queremos experimentar tudo. Uma mochila serviria para tudo, então ela foi a escolhida, e não nos arrependemos!

Um último aviso: escolha uma menor do que você  acha que precisa. Quando menor, mais leve. E você quase nunca precisa de todas as coisas que você quer levar de qualquer jeito. Só não faça mudanças abruptas! Se está acostumado/a com uma mala enorme, pegue uma menor, mas não muito menor, para ir se adaptando aos poucos.

Essas são as nossas malas. A gente sabe que não existe uma mala perfeita, mas a gente encontrou essas mochilas, e estamos bem felizes com elas. Espero que esse guia te ajudem a encontrar uma para você!

Why are airports always so stressful? ______________ Por que aeroportos são sempre tão estressantes?

A post shared by World Trip Diaries (@wtripdiaries) on

 

Você já segue a gente no Instagram? Segue, então, vai?

 

SaveSave

SaveSave

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta