Dunedin, NZ, com crianças

dunedin train station

Estação de trem de Dunedin

Passamos uma semana em Dunedin, em junho de 2016.

Foi uma semana complicada, com um tempo horrível, uma família cansada, um ratinho morto encontrado na primeira noite, o frio da casa, que demorou umas 4 horas pra esquentar logo na primeira noite fizeram a gente não ter uma boa impressão.

Passamos a semana nessa casa. Não é uma casa ruim, apesar da primeira impressão. Tem 2 quartos, e os quartos eram grandinhos. O problema é que a lareira ficava na sala e todo mundo ficava amontoado na sala, que era do tamanho de um quarto, só que com muito mais móveis. A água era de chuva e não potável, então os donos da casa trouxeram dois galões de água de alguma fonte. Essa água tinha um cheiro super forte e eu não consegui beber. Encontramos 2 ratinhos na casa, o que era esperado, já que a casa fica em uma área rural. O ruim do segundo rato foi que ele foi pego pela ratoeira quando as crianças estavam olhando. Eles ainda falam sobre o momento.

Eu ainda recomendo a casa para estadias curtas. Uma semana foi tempo demais para ir usar o banheiro fora de casa – e com descarga de bombinha, que a gente pisava e ele liberava um pouquinho de água…. Talvez, se o tempo estivesse bom, menos frio e menos escuro, não tivesse sido tão ruim. A falta de máquina de lavar roupa também é um grande ponto a menos. MAS, como a gente descobriu no último dia, Long Beach é um lugar lindíssimo, uma praia maravilhosa, uma reserva de animais selvagens. A gente devia ter ido pra praia antes.

otago museum dunedin

No Otago Museum, vendo fósseis

Voltando à Dunedin, a cidade é grande, com tudo o que uma pessoa possa precisar. Enquanto estivemos lá, visitamos:

– O centro da cidade. Eu adoro chegar e vagar um pouco pela cidade, encontrar o iSite (que é o centro de informações ao visitante) e perguntar das opções gratuitas e boas para crianças. Eles conhecem a cidade muito melhor do que a gente, com os nossos guias de viagem. Nessa caminhada em especial, a gente andou até a estação de trem.

Estação de Trem. É um lugar lindo. A gente não andou de trem porque custava muito mais do que a gente poderia pagar, mas valeu a caminhada. A estação é bonita por dentro e por fora, o jardim é bem legal, apesar de pequeno.

Sandfly Bay é onde a gente encontrou os leões marinhos. Eles parecem bastante com os lobos marinhos de Kaikoura (os lobos marinhos são encontrados perto do Albatross Centre de Dunedin). Infelizmente, enquanto a gente esteve lá, os leões marinhos que estavam na areia estavam dormindo. Os que estavam acordados estavam nas pedras e a gente não conseguia chegar lá. Mesmo assim foi incrível, eu amo ver os bichos dormindo tranquilamente, sem medo de serem desrespeitados. E não encontramos nenhum lixo jogado por lá, também. Maravilhoso! Um problema foi o caminho de volta pro carro. Pra ir pra praia, a gente desceu umas dunas e a descida foi tranquila. A subida, entretanto, foi um terror. Eu parei 3 vezes no meio da subida, e ainda assim, cheguei lá em cima parecendo que eu tinha corrido uma maratona.

Dunedin's albatross centre

A vista do ponto de observação do Albatross Centre

Albatross Centre é um museu pequenininho que fala sobre os albatrosses, obviamente. Também tem algumas poucas coisas sobre os outros animais encontrados na região. O melhor são os dois locais de observação: um de albatrosses e um de pinguins e lobos marinhos. A gente não viu nenhum pinguim, só os cocôs deles.

Península de Otago é onde ficam Sandfly Bay e o Albatross Centre. É um lugar lindíssimo. Lá tem muita coisa, como o castelo de Lanarch, e os centros dos pinguins de olhos amarelos, mas a gente não foi ver essas coisas.

Otago Museum é o museu de Dunedin. Grande parte dele é grátis, mas tem uma exposição paga. A parte sobre animais sempre atrai meus meninos, então a gente quase sempre passa a maior parte do tempo lá. É um bom programa para um dia chuvoso. O museu é limpo, com muita coisa e a gente pode encostar na maioria das coisas, então é um lugar legal para as crianças passearem um pouco mais livres.

sea lions at sandfly bay dunedin

Leões marinhos em Sandfly Bay

Baldwin Street é a rua mais inclinada do mundo. São só 350 metros de comprimento, mas parece muito mais longa quando se está subindo. Têm degraus,, que ajudam. Não sei quanto tempo a gente demorou pra subir, mas eu sei que a gente precisou descansar lá no topo por muito tempo antes de eu conseguir andar de novo. Eles colocaram um banco e um bebedouro lá. A vista lá do topo é linda e a gente sente que conquistou alguma coisa subindo a rua. Pelo menos até ver a plaquinha de que Iain Clark subiu a rua de patins em 1988.

Também comemos no Golden Harvest, um restaurante chinês no centro da cidade. Era um dos únicos lugares abertos às 7 da noite em uma quarta feira. A comida era boa, saiu mais caro do que a gente queria, mas valeu a pena.

Dentre todas as cidades que visitamos até agora, Dunedin não está entre as nossas favoritas. Talvez a gente precise visitar de novo em outra época….

long beach, dunedin

No caminho para Long Beach

E abaixo, nosso videozinho de Dunedin.

3 respostas

Trackbacks & Pingbacks

  1. […] outro lado, Dunedin foi um dos lugares que a gente estava esperando amar e acabou não aproveitando nada. Por parte, […]

  2. […] chuva, touca e uma lanterna. Sério. Foi terrível. Por sorte, a gente não menstruou lá. Foi em Dunedin, […]

  3. […] lá, fomos para Dunedin. Foi uma viagem longa, com uma parada em Moeraki Boulders. Demoramos umas 6 horas para completar os […]

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta